GRANDE LOJA UNIDA DA INGLATERRA?

Saudações estimado Irmão, você sabe o motivo do nome GRANDE LOJA UNIDA DA INGLATERRA? Pela Orbe Terrestre encontramos Obediências intituladas como "Grande Loja", algumas jurisdicionam Lojas espalhadas dentro de um país (Grande Loja da Turquia, Grande Loja do Senegal, Grande Loja do Panamá, Grande Loja do Chile, Grande Loja de Cuba, Grande Loja do Japão, etc), outras jurisdicionam Lojas fundadas em um estado ou território (Grande Loja de Montana, Grande Loja de Alberta, Grande Loja Maçônica do Estado de Tocantins, Grande Loja Maçônica de Minas Gerais, Grande Loja de Santa Catarina). Porém, o que chama a atenção do nome da "Obediência Mãe" é o adjetivo UNIDA. Ora, para que haja uma união é necessário que tenhamos no mínimo duas situações ou posições diferentes. Voltamos à Inglaterra nos primórdios da Maçonaria Especulativa: Após a fundação da Grande Loja da Inglaterra (vou tratá-la como Primeira Grande Loja) houve uma enorme difusão da Ordem por vários territórios e a entrada da nobreza em nossas Colunas. No ano de 1730 a Ordem viu seus segredos (TT, SS e PP) revelados a todo o mundo profano, pois Samuel Prichard escreveu e publicou o livro Maçonaria Dissecada, (literalmente dissecou aos olhos dos não iniciados nossos rituais).

Como reação e para manter a aura mística da Maçonaria, a direção da Primeira Grande Loja, institui novos rituais. Naquela época, ainda como é hoje, toda mudança no ritual gera muita polêmica e descontentamento, principalmente porque já havia dentro dessa Obediência uma mudança nas diretrizes da Sublime Ordem, pois haviam sido iniciados muitos membros da aristocracia e estes estavam mais interessados em aspectos de mera vaidade. No ano de 1751 vários maçons vindo da Irlanda aportaram em Londres e pediram filiação nas Lojas e como eram simples homens, gente sem "sangue azul", não tiveram o MICTMR. O que fizeram eles então? Simplesmente fundaram uma outra Grande Loja (vou tratá-la como Segunda Grande Loja). Antes de prosseguir devo responder a uma pergunta que com certeza alguém mentalmente formulou: - Por que ao invés de fundar uma outra "Grande Loja" não fundaram um "Grande Oriente"? Simplesmente porque a expressão "Grande Oriente" só começou a fazer parte do vocabulário maçônico muitos anos depois. Naturalmente as duas Grandes Lojas não se reconheciam e ainda trocavam "farpas"; os membros das Lojas jurisdicionadas à Segunda Grande Loja usavam os rituais primitivos e atacavam os Irmãos da Primeira Grande Loja, chamando-os de perjúrios, profanadores e "moderninhos" (afinal eles haviam alterados os antigos rituais) e a si mesmos eles chamavam-se de "Antigos".

Vejam que interessante: A Primeira Grande Loja fundada na Inglaterra é a Grande Loja dos Modernos e a posterior é a Grande Loja dos Antigos. A Primeira Grande Loja ficou muito elitizada e acabou ficando parada no tempo, já a Segunda procurou o aprimoramento de seu quadro pela aproximação com outras Obediências Internacionais e a disponibilização de graus superiores. Entre eles o que mais despertou interesse entre nossos Irmãos era o "Real Arco" e pessoalmente posso garantir que realmente é muito interessante. Por isso a Loja dos Antigos era conhecida como a "Grande Loja dos Quatro Graus". No ano de 1813 estavam na direção tanto da Primeira quanto da Segunda Grande Loja membros da Realeza Inglesa que sabiam que é a união que traz a força e formaram uma comissão para unificar os rituais das duas Potências. O que mais gerava problema era justamente o "Real Arco", afinal a Maçonaria Universal trabalha em três ou quatro graus? A solução veio assim descrita no segundo artigo da União das Grandes Lojas de Antigos e Modernos: "está declarado e pronunciado que a pura Maçonaria Antiga consiste de três graus e nenhum mais, isto é, os de Aprendiz Registrado, Companheiro de Ofício e Mestre maçom, incluindo a Suprema Ordem do Sagrado Arco Real. Porém, este artigo não visa impedir qualquer Loja ou Capítulo de reunir-se em qualquer dos Graus das Ordens de Cavalaria, de acordo com as Constituições das citadas Ordens" e assim nasceu a United Grand Lodge of England pela UNIÃO da Grande Loja dos Modernos e a Grande Loja dos Antigos. Já que estou escrevendo sobre história, devo também narrar mais uma acontecimento histórico que envolve o Real Arco, hoje dia 13 de dezembro de 2009, às 10:00 horas no Templo Nobre foi realizada pela primeira vez no Palácio Maçônico da Grande Loja Maçônica de Minas Gerais uma Sessão Magna de Iniciação de Adiantamento ao Grau de Mestre de Marca e de Indução à Cadeira do Oriente (Grau de Past Master), no total de 25 novos Companheiros do Real Arco, entre eles estavam todos os Membros do Grão Mestrado, Delegado Gerais e Regionais,o Secretário de Comunicação da Grande LojaIrmãos vindos do Rio de Janeiro, de Juiz de Fora, de Uberlândia e concomitantemente ainda fundamos o Capítulo Belo Horizonte - 54 de Maçons do Real Arco.

No site http://picasaweb.google.com/irquirino estão algumas fotos que tirei antes e depois da reunião.

Grato pela atenção!

TFA Quirino

Sérgio Quirino Guimarães
ARLS Presidente Roosevelt 025
Segundas-feiras, Templo 801
Palácio Maçônico – Grande Loja
Belo Horizonte – Minas Gerais
0 xx 31 8853-2969
quirino@roosevelt.org.br
Ano 03 – artigo 49 – número seqüencial 226




 

Listamos abaixo os Bancos de dados da AMI:
       
Banco de Operações Negociais
        Banco de Tecnologias Sociais
        Banco de Políticas Institucionais

Obs.: disponíveis somente para os associados da AMI, seja um sócio da Ação Maçônica Internacional, para maiores informações  CLIQUE AQUI