Brasil realiza primeiro transplante de córnea
a laser da América Latina

Hospital Oftalmológico de Sorocaba é pioneiro no procedimento que dura, em média 30 minutos, é feito com anestesia local e pode aumentar o aproveitamento da córnea com a técnica do transplante compartilhado.

O Brasil tem uma fila de 25 mil pessoas que esperam pelo transplante de córnea. O Hospital Oftalmológico de Sorocaba (HOS - SP) que é referência na área e está integrado ao Banco de Olhos de Sorocaba (BOS), realiza 200 procedimentos por mês, o que equivale a 30 % do que é feito em todo o País.

A instituição, que atende pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) e particulares, acaba de adquirir o Intralase, equipamento de 1,5 milhão de reais, que permite o transplante de córnea de forma muito mais precisa, com total segurança e ótimos resultados para o transplantado. Além disso, o equipamento possibilita também a realização do transplante lamelar compartilhado ou seja, em que uma córnea pode ser aproveitada para mais de um paciente."A grande vantagem dessa nova tecnologia é a rapidez com que o paciente retorna à vida ativa. Pelo método tradicional, a recuperação acontece em um ano. Com o intralase, a recuperação ocorre em aproximadamente 90 dias", informa Luciene Barbosa de Souza, médica coordenadora do serviço de transplante do HOS.

Só em 2005, o HOS atendeu 30 mil pacientes provenientes de outros estados, três mil dos quais do Rio de Janeiro.

Em que casos o transplante é recomendado?

O transplante é recomendado quando o paciente apresenta patologias como, ceratocone (quando a córnea tem um formato cônico), perfurações oculares e distrofia corneana.

Mitos que cercam o Transplante de Córnea:

- A córnea é uma camada gelatinosa que cobre o olho e só ela é retirada e transplantada.

- O paciente, dependendo do caso, só utiliza a anestesia tópica por meio de um colírio ou a local (uma picadinha na pálpebra). Ele entra e sai andando da sala cirúrgica e permanece acordado durante o transplante.

- O tempo de recuperação pós-operatória pelo método convencional é de 12 meses. Quando o Intralase é utilizado, a recuperação pode se dar em três meses.